Finanças e Gestão

Você sabe o que é Demonstrativo de Resultado (DRE)?

Criado em 13 de jun. de 2017

(Atualizado em 13 de jun. de 2023)

Alguns princípios contábeis são fundamentais para que qualquer administrador tenha uma visão ampla sobre como o seu empreendimento está se desenvolvendo. Será que está dando lucro? Ou prejuízo? Como preparar a empresa para o futuro? Estas são algumas perguntas que podem ser respondidas por um Demonstrativo de Resultado, ou simplesmente DRE.

Quer saber mais sobre esse conceito? Então acompanhe-nos no texto de hoje!

O que é DRE?

O DRE é um relatório analítico que apresenta um resumo dos resultados da empresa em determinado período. Para um acompanhamento eficaz, a companhia deve fazer o demonstrativo de resultados mensalmente. Contudo, a fim de prestar contas ao governo com relação às questões fiscais, ele deve ser apresentado trimestralmente. Ao final de 12 meses, a empresa faz um DRE do período e tem em mãos uma ferramenta que permite avaliar o passado e planejar o futuro.

De acordo com a lei do regime de competência, o demonstrativo de resultados de uma empresa deve contemplar alguns pontos importantes para expôr o desempenho do negócio ao longo do período. Confira quais são eles:

  • Receita bruta;
  • Deduções;
  • Custo de operação;
  • Lucro bruto;
  • Lucro líquido.

Além destes pontos destacados, o DRE traz outras informações que permitem um confronto entre as receitas, custos e resultados da empresa dentro do período apurado, dando uma visão abrangente sobre como ela vem se desenvolvendo.

Ter em mãos este documento dá ao empreendedor a oportunidade de pleitear recursos em agências de fomento do governo, bem como ir em busca de investidores para o crescimento do seu negócio. Nenhum investidor ingressará em um projeto sem avaliar a saúde financeira da empresa, demonstrada por meio do DRE.

Qual a diferença entre o Demonstrativo de Resultado (DRE) e o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC)?

Tanto o DRE quanto o DFC são importantíssimos para um perfeito acompanhamento da saúde financeira da empresa; contudo, cada um possui um papel. Enquanto o DRE está regulado pelo regime de competência, onde os dados são registrados na data do fato gerador – uma venda, por exemplo –, o DFC é regido pelo regime de caixa, onde as ações são registradas na data em que de fato ocorreram.

Para exemplificar, pense em uma venda a prazo. No demonstrativo de resultados ela aparecerá registrada no dia em que foi efetuada. Já no DFC, será registrada assim que o pagamento for realizado.

Quais as vantagens do DRE?

O DRE é um instrumento de análise que permite a qualquer pessoa verificar como está a saúde financeira da empresa, se ela está segura e tem perspectivas futuras ou se precisa de ajuda para manter suas funções em andamento. Ele dá um panorama geral, permitindo aos gestores uma tomada de decisão mais concreta, baseada em informações verídicas e comprovadas.

Em contrapartida, com o DFC, é possível verificar o que a empresa de fato possui naquele determinado momento, mas não possibilita a visão mais detalhada que o DRE traz.

Qual dos dois relatórios escolher?

Os dois! Como dissemos, cada relatório tem suas vantagens e desvantagens, trazendo informações únicas para que a sua empresa possa investir no futuro sem receios. Enquanto você tiver um acompanhamento sério em relação a estes e outros relatórios contábeis pertinentes ao seu negócio, tenha certeza de que estará no caminho certo para uma administração responsável e segura!

Ficou claro o conceito de DRE para você? Caso tenha ficado alguma dúvida, compartilhe-a conosco nos comentários que ajudaremos a respondê-la!

Compartilhe nas redes:

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.