Boletos e carnês

O que você precisa saber sobre a homologação de boletos bancários

Criado em 23 de jan. de 2015

(Atualizado em 13 de jun. de 2023)

Funcionamento do processo

O critério utilizado para a homologação dos boletos varia de banco para banco, mas, em geral, gera-se um certo número de boletos fictícios — cerca de 10 a 20 boletos de amostra —, constando em cada um uma determinada variação de dados, a fim de comprovar para a instituição financeira que o cedente está apto a realizar cobranças por meio desses títulos. Uma vez enviados esses boletos de amostra, o banco passa para a avaliação da adequação do documento, autorizando, assim, a emissão dos boletos reais. Como os boletos estão diretamente ligados a uma respectiva conta no banco, caso se deseje emitir boletos para mais de uma conta, o processo de homologação deve ser feito, também, mais de uma vez.

A emissão e a homologação de boletos podem ser feitas por pessoas físicas e jurídicas, inclusive por empresas que não estejam estabelecidas no Brasil.

Tipos de cobrança

As cobranças efetuadas por meio de boleto bancário podem ser de dois tipos: registradas ou não registradas.

As cobranças registradas são aquelas feitas por meio de boletos bancários emitidos com carteira registrada. Nesses casos, o emitente deve enviar um arquivo de remessa ao banco, que serve para registrar os documentos emitidos e vinculados àquela instituição. Essa modalidade é mais cara, pois existe o acréscimo de uma taxa por cada boleto emitido.

Já as cobranças sem registro não precisam ser registradas no banco, não havendo, assim, taxa cobrada sobre o título emitido. Nesse caso, há apenas a cobrança de uma pequena quantia quando o valor do boleto é efetivamente creditado na conta corrente.

Cuidados necessários

É muito importante que o sistema utilizado para a emissão dos boletos esteja em conformidade com o sistema do banco, o que previne que os boletos bancários gerados possam ser negados no momento da homologação por algum erro nas informações ou alguma mudança nos parâmetros do sistema, causando inconsistências no documento.

Problemas mais comuns

Um dos problemas mais recorrentes nesse quesito é a negativa de homologação dos boletos de amostra em razão de apresentarem pequenas inconsistências, como a ausência do dígito verificador geral do código de barras, por exemplo, que corresponde ao campo 4 da representação numérica do documento, ou até mesmo a emissão de um boleto em desacordo com o layout definido. Nesses casos, o problema é reportado à empresa, que deve efetuar as devidas alterações para adequar seus documentos aos requisitos estabelecidos pelo banco. Aí o processo pode ter prosseguimento.

Evite a burocracia

Com a plataforma Fortunus a homologação não é necessária. A partir do momento que você realiza seu cadastro e escolhe um dos planos que mais se adequa ao seu empreendimento, já pode começar a emitir seus boletos da forma mais simples possível. É super rápido e fácil! Inclusive recentemente preparamos um vídeo tutorial que explica como gerar o primeiro boleto bancário em nossa plataforma. Assista-o AQUI!

Ficou interessado pela nossa plataforma? Deixe seus dados para que nosso time comercial entre em contato e apresente a proposta ideal para seu serviço.

Agora que você já está completamente por dentro do assunto, comente aqui e nos conte se ainda ficou alguma dúvida ou se tem alguma informação ou história a acrescentar e enriquecer nosso post! Compartilhe suas experiências e seus questionamentos conosco e participe!

Baixar ebook

Compartilhe nas redes:

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.