Boletos e carnês

Produção de Boletos e Carnês: quais equipamentos usar? 

Criado em 8 de mai. de 2017

(Atualizado em 13 de jun. de 2023)

Se você quer começar a produção de boletos e carnês, ter os equipamentos corretos é fundamental para trabalhar com qualidade e com o melhor custo-benefício. E para fazer a melhor escolha, é necessário fazer uma avaliação da sua demanda e dos recursos disponíveis para fazer uma aquisição de acordo com sua necessidade.

Para ajudar nesta tarefa, preparamos vídeos tutorias com dicas para você começar o processo. Veja aqui. E neste post, falamos mais sobre os equipamentos e materiais recomendáveis. Confira:

Impressora

Para escolher uma boa impressora para o seu negócio, é preciso estar atento a algumas características que variam de modelo para modelo. E como existem muitas opções no mercado, selecionamos alguns tópicos que você deve observar no momento da compra:

Tipo de Impressão

O tipo de impressão é um dos fatores mais importante para garantir um bom custo benefício a longo prazo. Por exemplo: muitas impressoras podem tem um custo de entrada pequeno, mas um custo de recarga maior a longo prazo.

As opções que imprimem apenas em preto e branco atendem bem a impressão de boletos e carnês. Mas se sua marca é colorida e você deseja imprimir o logo de forma original, vale a pena investir em uma impressora multicor.

Neste artigo vamos falar dos dois modelos principais para o objetivo de impressão de boletos e carnês: “impressoras a jato de tinta” e “impressoras a laser”.

Confira as vantagens de cada uma:

 

Impressora a Laser  Impressora Jato de Tinta 
Velocidade de impressão maior Velocidade de impressão menor
Cartucho mais caro > maior rendimento Cartucho mais barato > menor rendimento
Aparelho mais caro Aparelho mais barato
Impressão resistente, raramente mancha ou desbota Maior qualidade de cor

Impressoras a Laser 

As impressoras a laser têm um ótimo custo benefício e a vantagem de diminuir os resíduos no papel. A Brother 8157, por exemplo, é uma multifuncional monocromática que além de inúmeros benefícios, como impressão rápida, tem compatibilidade com cartucho de ultra rendimento para 12.000 páginas.

Outro exemplo é o modelo Sansung Xpress SL-M2070W, cujo tonner original custa cerca de R$100 e consegue imprimir aproximadamente mil cópias. Por ser monocromática, o modelo não apresenta um custo elevado.

Impressoras a Jato de Tinta

As impressoras a jato são as mais comuns e normalmente possuem um custo de entrada menor. Porém, os cartuchos possuem uma autonomia menor e, por isso, dependendo da quantidade de impressões, o custo a longo prazo é maior.

De acordo com o especialista em tecnologia do portal Zoom, Ricardo Bergher, alguns modelos, como a Multifuncional Epson Ecotank L375 imprimem em média 4.500 páginas em preto e branco e 7.500 em cores com um frasco de 70 ml, que custa cerca de R$15.  Segundo alguns reviews na internet, esta impressora é econômica somente para quem imprime muito, pois a tinta nos bicos pode secar caso a impressora fique um longo período sem utilização. Portanto, nos relatos encontrados, percebemos pessoas que tiveram este problema após semanas sem uso e outras que não passaram por esta situação.

Velocidade da impressão

Se você tem um número grande de impressões, a velocidade pode ser um diferencial. Ainda mais pelo fato de que isso impacta no tempo que vai demorar para imprimir suas cobranças. Entre as opções disponíveis no mercado, você vai encontrar equipamentos que imprimem até 27 páginas por minuto, como a Mutifuncional Epson Ecotank L220.

Ainda é importante avaliar se a impressora que você deseja comprar imprime frente e verso de forma automática ou não.

Tipos de papeis que a impressora suporta

Esta é outra característica a qual você precisa estar atento. Alguns modelos imprimem em diferentes tipos de papeis, com gramaturas variadas. Outros, no entanto, limitam o tipo de papel aceito. Se você pretende utilizar um papel mais grosso, é preciso validar se o modelo escolhido atende à sua necessidade.

O Portal Zoom publicou um lista com as 10 melhores impressoras de 2016. Para ler o relatório completo, clique aqui!

Papel para impressão

O papel mais indicado para a impressões de documentos é o sulfite A4. A gramatura depende do tipo da cobrança. Para boletos, o indicado é o papel de 90g. Por ser mais grosso, ele proporciona mais privacidade ao seu cliente, pois a tinta não vaza para o verso do papel.

Para a impressão de carnês, o indicado é o papel de 180g para a capa. Já para o miolo, o sulfite mais fino, de 75g, atende bem.

Guilhotina

A guilhotina é um equipamento que pode ajudar muito no seu trabalho. Além de cortar um número maior de papeis simultaneamente, ainda é projetada para fazer um corte preciso, sem deixar rebarbas. Existem vários tipos de equipamentos para você escolher de acordo com seu orçamento e necessidade.

Mas atenção! É importante escolher um equipamento seguro. Por ser algo que trabalha com corte, o risco de acidentes existe. Por isso, qualquer cuidado é importante. Não economize com a segurança!

Guilhotina facão ou de mesa

É a guilhotina de menor porte e preço mais acessível, em que o corte é feito por uma espécie de faca de forma manual. Este modelo permite o corte simultâneo de aproximadamente dez folhas. Geralmente, a superfície permite o corte de 20 cm até o tamanho de uma folha A3, mais ou menos.

Existem modelos mais simples e mais profissionais, mas é importante escolher um modelo seguro. O modelo Profissional A4 Classiccut Cl410 custa cerca de R$ 1mil, corta até 25 folhas e possui proteção. Além disso, possui sistema de autofiação e funcionalidades avançadas de segurança. A escolha depende do número de carnês que precisa produzir e de quanto você pretende investir.

Refiladora

A refiladora é uma variação da guilhotina de mesa em que a faca é substituída por uma roda afiada. O corte é feito com o movimento da roda ao longo de uma guia, sendo assim, um pouco mais preciso que a guilhotina.

É possível encontrar modelos com valor entre R$ 150, como a SmartCut A200, que corta até 5 folhas de até 300 mm,  e R$ 600, como a Fellowes Electron A3 Rotativa, que corta até 10 folhas de até 450 mm.

Guilhotinas Manuais

Estes modelos são indicados para quem tem uma demanda maior. Para escolher é preciso observar a altura do corte, que determina o número de folhas simultâneos, e a largura da boca, que determina o tamanho máximo do papel que pode ser cortado. O corte é feito por um braço mecânico que amplia a força do operador.

É possível encontrar modelos que vão de 1 a 10 cm de altura, que permite cortar de 100 a 1 mil folhas de 75g. Para cortes de folhas mais grossas, o número de folhas diminui. A largura varia de 30 cm a mais de um metro. Outras vantagens deste modelo é a luz de corte, que mostra onde a lâmina vai pegar a folha, servindo para o ajuste final, e o sistema de prensa, que deixa as folhas fixas no momento do corte.

O preço varia de acordo com as características da máquina e do local de compra, saindo de R$ 1500 e chegando a mais de R$ 6 mil.

Guilhotinas semiautomáticas e automáticas

Os modelos automáticos e semiautomáticos são indicados para quem trabalha com gráfica profissionalmente, pois os investimentos são altos.

As guilhotinas semiautomáticas possuem a mesma capacidade das manuais, mas trazem a facilidade da automatização da descida da faca, que nos modelos manuais podem gerar um grande esforço. O acionamento é feito por botões ou pedais para evitar acidentes e a faca é deslocada por um motor elétrico. O ajuste do papel e a descida da prensa continua sendo manual. Esta comodidade vai custar um pouco mais caro, com valores próximos dos R$ 10 mil.

Já o modelo automático é mais completo e todo o processo é automatizado. O operador acerta as folhas na máquina, o posicionamento, a fixação e a descida da faca é feito por meio de comandos.  Alguns modelos apresentam outras inovações, como a almofada de ar comprimido, que faz as folhas deslizarem na mesa, diminuindo o esforço necessário para ajustá-las, dentre outros.

Devido aos motores utilizados, estes modelos têm tamanhos maiores e exigem um espaço adequado para serem instalados. Os valores podem chegar a R$ 20 mil.

Material para acabamento dos carnês

Depois de ter o material impresso e cortado, é preciso fazer o acabamento dos carnês. Assim, a forma mais utilizada é o grampeamento das folhas e um fechamento com um fita silver tape ou similar. Dessa forma você pode evitar qualquer acidente com o grampo. Para deixar o material com a cara da sua empresa, uma opção é utilizar fitas coloridas da cor da sua marca. No Mercado Livre  é possível encontrar as fitas em diversas
Então, ainda não viu nossos vídeos tutorias com dicas para a impressão? Confira agora! 

Escrito por

Sabrina Carvalho

Sabrina Carvalho é graduada em Comunicação Social – Jornalismo, pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Possui experiência em assessoria de imprensa e comunicação organizacional. É redatora na área de Comunicação da Gerencianet, onde desempenha atividades de produção de textos, assessoria de imprensa e gestão de mídias sociais.

Compartilhe nas redes:

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.