Finanças e Gestão

Regime de caixa ou competência: como escolher o regime certo no seu negócio!

Criado em 8 de out. de 2014

(Atualizado em 13 de jun. de 2023)

Discernir gastos e receitas é uma das ações mais básicas realizadas pela administração de qualquer organização. É por intermédio desses dados que é possível realizar adequadamente as avaliações e a gestão dos ativos da empresa. O regime de competência é um dos métodos mais bem aplicados nesse sentido. A sua aplicação permite o reconhecimento de todos os efeitos contábeis das transações no exato momento em que ocorrem. Companhias com tributos apoiados em lucro real precisam, obrigatoriamente, adotar esse regime na apuração de seus tributos.

Você ainda tem dúvidas na diferenciação entre regime de caixa ou competência? Não tem certeza sobre qual regime aplicar na administração da sua empresa? Então não deixe de conferir nosso post:

Regime de caixa ou regime de competência

O regime de caixa contabiliza o efetivo desembolso financeiro feito para a quitação de despesas ou a real entrada de dinheiro recebida por alguma transação. Já o de competência considera o fato originário. Ou seja, quando a receita ou a despesa foram geradas, quando se estabeleceu o compromisso, acertando entrada e saída nos períodos de suas realizações. Isso acontece independentemente do valor a ser recebido por essas receitas ou do pagamento das despesas.

Um exemplo simples da aplicação desse método é a compra de mercadorias a prazo. Se for realizada uma compra no mês de outubro, mas o pagamento for se efetivar somente no mês de novembro, o gasto deve constar no registro de outubro, mesmo que o pagamento seja efetuado um mês depois. Computa-se a despesa no mês de aquisição, e, como contrapartida, cria-se uma obrigação nas contas a pagar para o mês posterior.

Ao adotar o regime de competência na empresa, o responsável permite que as movimentações financeiras sejam registradas na contabilidade da companhia. Por consequência, essas transações constam das demonstrações financeiras da organização no momento as obrigações foram criadas, executados, entregues ou recebidas. Isto permite a análise das receitas do período comparadas aos custos de sua geração.

Compromissos futuros

Com o regime de competência, as demonstrações contábeis preparadas por esse sistema informam aos gestores sobre transações passadas relativas a recebimentos e pagamentos. Também são anunciados os compromissos financeiros futuros da companhia. Além, claro, dos recursos que se transformarão em dinheiro futuramente.

Análises consistentes

Não podemos dizer qual é melhor, já que cada empresa tem suas peculiaridades, funcionando melhor de um jeito específico. Porém, é válido ressaltar que o regime de competência permite análises mais consistentes dos resultados corporativos. Nesse sistema, além de se observar as vendas e as despesas efetuadas, examina-se, ainda, a depreciação. Essa depreciação geralmente não é abordada no regime de caixa.

Vantagem competitiva

Ao adotarem o regime de competência, as organizações passam a ter vantagem competitiva, uma vez que o modelo proporciona a revisão de dados passados, que trazem informações essenciais na tomada de decisões estratégicas dos gestores e administradores.

Saber sobre esses benefícios trazidos pela implantação do regime de competência pareceu mais vantajoso para o seu negócio pode ser fundamental para a administração de um negócio. Leia também nosso artigo com as melhores práticas de controle financeiro!

Então, você gostou do nosso artigo? Em caso de dúvidas, comente nas nossas redes sociais e compartilhe conosco Facebook, Twitter, Instagram e Linkendin!

 

Compartilhe nas redes:

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.